Projeto Semear

O Projeto SEMEAR é a estratégia do Ministério Público do Paraná para o enfrentamento ao álcool, crack e outras drogas. Por meio de uma atuação integrada de membros e servidores da instituição, o projeto busca construir, de forma coletiva, diretrizes que resultem em políticas públicas de prevenção e de atendimento aos usuários de substâncias psicoativas.

 

Destaque

Resultado do diagnóstico sobre o impacto da drogação na atuação do Ministério Público

Encontra-se disponível para acesso a análise do questionário eletrônico elaborado pela Coordenação do Comitê de Enfrentamento às Drogas e do Projeto Semear com o objetivo de traçar um diagnóstico inicial sobre o impacto da drogadição no dia a dia das Promotorias de Justiça.

O diagnóstico institucional se propôs a: conhecer a realidade cotidiana das Promotorias; coletar impressões sobre o impacto do uso abusivo e da dependência de drogas na atuação ministerial; identificar as expectativas em relação aos resultados da atuação do Comitê de Enfrentamento às Drogas e do Projeto Semear e a reconhecer as boas práticas nas áreas da prevenção e da repressão às drogas que possam ser replicadas em outras Comarcas.  Leia mais >>

 

 

Serviço de Atenção e Proteção aos usuários de Drogas

Temas Relevantes

Pesquisa de Diagnóstico Institucional

Notícias

 

26/06/2018

MPPR participa do "Junho Paraná Sem Drogas" com ação nas escolas

Durante todo este mês, o Ministério Público do Paraná participa de ações integrantes do projeto “Junho Paraná sem Drogas”, iniciativa coordenada pela Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná (Sesp-PR). A instituição participa de rodas de conversa entre promotores de Justiça e estudantes da rede pública estadual em que será enfatizada a questão da prevenção ao uso de entorpecentes. O trabalho é coordenado pela Secretaria Estadual de Educação (Seed), em parceria com o MPPR, por meio do Projeto Estratégico Semear, com a Secretaria de Saúde do Estado do Paraná (Sesa), e conta com o apoio do Conselho Estadual de Políticas Públicas sobre Drogas (Conesd).

“Nossa intenção é ouvir dos próprios alunos as principais dúvidas a respeito desse tema, atentando ao conhecimento deles sobre a questão”, diz o coordenador do Semear, promotor de Justiça Guilherme de Barros Perini – que vai realizar rodas de conversa em escolas de Campo Largo, comarca em que atua. Leia mais >> 


23/06/2018 

Seminário “Prevenção e cuidados na dependência química” é realizado no sábado, dentro na programação do mês “Junho – Paraná sem Drogas”

O Ministério Público do Estado do Paraná, por meio do Projeto Semear – Enfrentamento ao Crack, Álcool e Outras Drogas, promoveu, no dia 23 de junho, das 13 horas às 18h30, no auditório do edifício-sede da instituição em Curitiba, o seminário “Prevenção e cuidados na dependência química”. A programação foi aberta a todos os interessados, com emissão de declaração de participação na atividade, que teve duração de 6 horas.

Realizado em parceria com o Conselho Estadual de Políticas Públicas sobre Drogas (Conesd) e com Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná, o evento teve como objetivo disponibilizar informações essenciais sobre prevenção ao uso de drogas e contemplou exposição sobre a nova regulamentação da saúde mental no Brasil. Acesse a nota sobre o evento e a íntegra da gravação na seção  Leia mais >>


A atuação do MPPR na área de políticas afetas à drogadição

Artigo de Guilherme de Barros Perini, promotor de Justiça e coordenador do Projeto Semear

O uso abusivo e a dependência de substâncias psicoativas lícitas e ilícitas têm se difundido em escala mundial. De acordo com os dados do Relatório Mundial sobre Drogas, lançado em 2017 pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), cerca de 29,5 milhões de pessoas entre 15 e 64 anos sofrem de transtornos relacionados ao consumo de substâncias psicoativas, isso em um universo de mais de 255 milhões de indivíduos que usaram drogas pelo menos uma vez no ano em que a pesquisa foi realizada (2015).  Leia mais >>

 
Recomendar esta página via e-mail: